Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

No meu Palato

No meu Palato

Vidago Palace | Do regicídio ao nosso Adamastor

"Desde que tenhamos a razão do nosso lado, podemos ir até aonde o nosso dever indicar. Devemos prosseguir no nosso caminho, doa a quem doer, e nesse caminho sempre me encontrarás ao teu lado e ao dos teus colegas, por maiores que sejam os sacrifícios que eu tenha que fazer. Devo-os ao meu País, devo-os àqueles que com tanta dedicação o querem servir." Dom Carlos I de Portugal

Vidago PalaceEstávamos na tarde fria do dia 1 de Fevereiro de 1908, um Sábado. Os relógios marcavam 15 minutos após as 17 horas e o rei D. Carlos I regressava ao Terreiro do Paço em Lisboa, vindo de Vila Viçosa, após uma já tradicional temporada de caça, uma espécie de férias de Inverno da altura.

Nova Imagem7 (5).jpgHavia pouca gente na entrada do Palácio mais famoso da capital do reino. Quando a carruagem real circulava pelo lado ocidental da praça ouve-se um tiro e desencadeia-se um tiroteio. Depois da carruagem ter passado os populares desatavam a fugir em pânico. 

Vidago PalaceÉ então que um homem de barbas ( Manuel Buíça, professor primário expulso do Exército), se dirige para o meio da estrada, leva o olho direito à mira da arma que tinha escondida por debaixo da sua capa, ajoelha-se no chão e faz pontaria na direcção de D. Carlos I.  O tiro atravessou o pescoço do Rei, matando-o imediatamente. 

Vidago PalaceComeça um novo tiroteio: outros conspiradores, em diversos pontos do Terreiro do Paço, disparam sobre a carruagem, que fica crivada de balas.O rei D. Carlos e o príncipe herdeiro, Luís Filipe, eram assim assassinados por anarquistas. Este episódio deixa a monarquia fragilizada e dois anos depois é proclamada a república. O crime não foi investigado e os executores foram abatidos no local pela policia. 

Vidago PalaceSegundo Raul Brandão, jornalista/escritor português, famoso pelo realismo das suas descrições,  se tivessem deixado viver o Rei D. Carlos I, este teria sido um dos maiores e melhores reis da sua dinastia. Só ele falava (e sonhava) um Portugal maior, num Portugal esplêndido.  Perspicaz e com visão de serviço ao reino, tinha uma capacidade enorme para fazer discursos. 

Vidago PalaceEra  o político mais inteligente do seu tempo, um estadista sempre disposto a sacrificar o seu bem-estar em prol da Nação e que cumpria escrupulosamente o seu dever, um caso exemplar de Humanismo Português.  Quis o destino que uma das suas últimas obras fosse o Vidago Palace Hotel. 

Vidago PalaceSó um humanista sonhador como o rei D. Carlos poderia ter idealizado um hotel assim: cor-de-rosa, ao estilo Belle Époque, com coberturas azul turquesa, os abóbadas em estuque cinzento claro e adornadas com metal potenciadoras de um ambiente de culto à arte através da nobreza dos espaços.   

Vidago PalaceCá fora um pátio de honra em forma de entrada, um jardim à francesa, um lago encantado e inúmeras fontes de água. Ironia do destino, a primeira pedra foi lançada um dia depois da sua morte e a inauguração agendada para 5 de Outubro de 1910, tendo como (previsto) chefe de cerimónias o seu filho e sucessor, D. Manuel II. 

Vidago PalaceMas também este não chegaria a entrar no palácio, foi deposto pela revolução republicana em 5 de Outubro de 1910, na véspera da data prevista para a inauguração do Vidago Palace Hotel. Acabou por ser inaugurado no dia 6 de Outubro de 1910, sem pompa e sem circunstância. Um dia depois da monarquia desaparecer dando origem à republica.  

Vidago PalaceQuando entramos no hotel, somos convidados a desfrutar de um dos magníficos 70 Quartos & Suites ou a relaxar no moderno Spa Termal, cuja água mineral de Vidago, reconhecida pelas suas qualidades terapêuticas de excepção, é a rainha absoluta (se bem que a Bia tentou-lhe pôr o reinado em causa ;))!!!

Vidago PalaceNo parque, o campo de golfe que se estende triunfante ao longo de 18 buracos, convenceu-me a experimentar esse desporto ... um dia destes :)  Outro dos melhores predicados deste palácio escondido na floresta que combina, na perfeição, conforto, luxo e natureza é a gastronomia do majestoso Salão Nobre.

Vidago PalaceLá tivemos o prazer de desfrutar da acidez untuosa da Vieira com manteiga noisette, aipo, citronelle, ervilhas e funcho, da elegância, maresia e orientalidade do Robalo com emulsão de crustáceos e caril, arroz arborio, camarão e  chutney de manga-chilly. 

Vidago PalaceMais tarde surgiu a untuosidade, intensidade, riqueza aromática e jogo de sabores contrastantes do Lombinho de porco com especiarias exóticas, batata confit, doce de pimentos e espigos e a doçura levemente adstringente do Mil folhas de mascarpone e baunilha, com rosas, beterraba e framboesas

Vidago PalaceDestaco ainda, já no dia seguinte, um arroz de tamboril super delicioso, à moda antiga, e que por si só, justifica a viagem a Vidago ;) Uma cozinha assente nos produtos da época e da região, genuínos e frescos, potenciando o seu sabor e texturas plenos, que bebe influências mediterrânicas e que se apresenta à mesa através de uma dicotomia tradição/inovação muito interessante.  

Vidago PalaceEsta nau gastronómica tem ao leme Vítor Matos que para além de Chefe de cozinha é também consultor gastronómico do Vidago Palace, onde através do seu conhecimento, arte, engenho e emoções, nos proporcionou uma experiência gastronómica única e inesquecível.

Vidago PalaceNeste hotel Real, um dos mais belos monumentos portugueses, nenhum rei português ficou hospedado, mas foi a realeza que o sonhou e o fez nascer. Essa realeza nunca usufruiu dele, mas sim o povo e a encantadora vila de Vidago. Para alguém com a alma de estadista abnegada, como a de D. Carlos I, "o Diplomata", acredito que isto não o incomode, seja lá onde quer que ele se encontre agora. 

Vidago PalaceQuanto a nós, foram 3 dias muito bem passados a percorrer este universo encantado, com uma visita às tradicionais fontes e um passeio a pé pelos diferentes trilhos, que nos permitiram uma observação fantástica da biodiversidade que lá existia. Por tudo isto leva o selo de altamente recomendado pelo No meu palato. Outra ironia do destino, esta saída marca a última visita do blogue antes desta infame pandemia nos passar a amedrontar. 

Vidago PalaceNeste fim-de-semana, o do dia dos namorados, já o COVID-19 assolava a China e surgiam os primeiros casos em Itália. Parece incrível como tudo se agravou tão rápido, em pouco mais de um mês. Nas próximas semanas o blogue vai mudar um pouco o perfil, iremos publicar coisas que estão atrasadas, focar mais no "Cá por casa" com garrafas que os produtores me foram mandando e se foram acumulando na garrafeira, iniciar o "Não gosto" e esperar que tudo melhore. Todas as visitas que tínhamos agendadas foram suspensas, mas faremos questão de honrar todas, mesmo todas, logo a partir de Maio.

Vidago PalaceSei que estamos em tempos difíceis nas áreas nas quais o blogue se enquadra e que o futuro próximo não se antevê nada sorridente, mas urge transformar este cabo das tormentas no cabo da boa esperança. Aos produtores, restaurantes, hotéis e a todos os amigos que fomos conhecendo ao longo destes 4 anos de blogue, desejo-vos força, coragem e determinação. Isto vai passar. A nossa geração nunca teve de batalhar por independências, vencer ditaduras, dividir uma sardinha em três para se alimentar, partir para guerras ou derrotar Adamastores.

Vidago PalaceEste é o nosso Adamastor, esse gigante que atemorizou os nossos antepassados navegadores e que após vencido passou a simbolizar a superação do nosso povo contra medos, monstros e abismos.  Foi contra os seus próprios medos que os navegadores triunfaram e não tenho a mínima duvida que este Adamastor vírico terá o mesmo destino que todos os seus antecessores: a derrota perante um povo humilde mas unido. 

Vidago PalaceAproveitem este tempo em casa para fazer tudo aquilo que anteriormente se queixavam de não ter tempo. Tempo para a família, tempo para se divertir com os filhos, tempo para ler, tempo para aturar a mulher, tempo para aprender a usar a máquina de lavar loiça, tempo para regressar às brincadeiras de criança, tempo para dar uma valente desfalque à garrafeira (;))  e tempo para planear o que iremos fazer quando as coisas regressarem à normalidade. Até lá meus amigos, mantenham-se seguros e de boa saúde, para que mais tarde possamos brindar, juntos e unidos, com um vinho que necessariamente terá de ser bom,  à vitória sobre este terrível Adamastor. 

#staysafe